Relações Públicas é destaque na comunicação corporativa

Relações Públicas é destaque na comunicação corporativa

João Carissimi é professor universitário

 

O trabalho de Relações Públicas está em alta e o perfil do profissional atuante na área de comunicação corporativa apresenta mudanças. Pelo menos, esses são os indicativos de pesquisas realizadas pelo IBOPE Inteligência /2008 e pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje, 2006). Além disso, análise feita pela Associação Brasileira de Comunicação (Abracom, 2003) aponta para um pleno crescimento na comunicação corporativa.

 

O otimismo no Brasil também pode ser notado com a divulgação de pesquisas sobre o segmento comunicação corporativa, marketing e relações públicas. Nos resultados apresentados pelo IBOPE Inteligência, pela Aberje e pela Abracom, os empresários assinalam como positivos itens relacionados a investimento, contratação de pessoal e reconhecimento estratégico da comunicação corporativa. Os investimentos das empresas na comunicação aumentaram 35,4%, comparando-se 2005 e 2006, enquanto na contratação de profissionais de comunicação o índice se eleva em 10%, comparando-se 2005 a 2004.

 

Vale destacar que as empresas, segundo IBOPE, continuarão investindo principalmente em estratégias de crescimento, tais como exploração de mercados, desenvolvimento de produtos e serviços e canais de vendas. Para que tudo isso dê certo, sem dúvida, será necessário um investimento considerável na comunicação corporativa.

 

Há também uma supremacia de RP na comunicação corporativa das empresas entrevistadas em 2007. Quanto às ferramentas de marketing e comunicação mais utilizadas, os eventos ficaram em primeiro lugar (72%), seguidos por meios de comunicação dirigida, como e-mail marketing ou mala-direta eletrônica (68%), e, em terceiro lugar, a assessoria de imprensa e Relações Públicas (46%). Na gestão da comunicação integrada de marketing, percebe-se que planejamento de eventos, políticas de comunicação dirigida, ações de intercâmbio com a imprensa, e relacionamento com os diversos públicos são os principais instrumentos da área de RP. Os entrevistados afirmam também que, em 2008, a comunicação dirigida fica em primeiro lugar (62%), eventos (55%) e assessoria de imprensa e RP (40%). As ferramentas menos utilizadas, em 2007, foram comunicação de massa (40%), promoções, (29%) e merchandising (17%).

 

Talvez o fato de o RP estar em alta esteja diretamente relacionado à pesquisa da Aberje, assinalando um crescimento de 15,4% no número de profissionais de Relações Públicas em cargos estratégicos nas organizações, em 2005, e de 22% em 2007. Participaram ‘164 empresas que, juntas, faturaram no ano de 2006 cerca de US$ 360 bilhões ou 33,7% do PIB brasileiro’. A presença do profissional de Relações Públicas nas organizações tem a ver com a mudança do perfil dos profissionais na comunicação corporativa, pois as organizações entendem que a comunicação interna é estratégica, e assim acabam criando uma diretoria específica para a área.

 

Outro ponto de destaque na pesquisa é que as diretorias de comunicação interna (53%) estão sob a responsabilidade da comunicação e relações públicas. Já em relação ao perfil dos profissionais, 76,2% são mulheres, embora os homens sejam maioria nos cargos de diretoria. Em relação à mudança de paradigma, as mulheres ocupam cargos de executivas em várias organizações, tendência que pode se acentuar no futuro.

 

Essa mudança no mercado resulta, na verdade, na formação desses profissionais. O Curso de Relações Públicas, da Universidade do Vale do Itajaí, por exemplo, enfatiza planejamento estratégico, comunicação interna, comunicação institucional e comunicação mercadológica. Tanto que o Plano de Relações Públicas desenvolvido pelo acadêmico apresenta, em seus projetos, estratégias de comunicação dirigida, eventos, relacionamento com clientes, internet, pesquisa, assessoria e consultoria, responsabilidade sócio-ambiental, relacionamento com a mídia e fortalecimento da marca. Elas atendem à comunicação interna com boletim informativo, mural, intranet, e-mail, sondagens de opinião, datas comemorativas, lançamentos de produtos, manual do funcionário, código de ética, mensagens institucionais, entre outros.

 

De outra parte, as empresas constroem redes de relacionamentos (networking) e/ou one to one com seus stakeholders, com o objetivo de manter e ampliar seus resultados no cenário cada vez mais competitivo. Daí a importância de um profissional de comunicação social. Apesar de recursos escassos, o RP pode atuar de forma a interpretar, prever, controlar e mensurar a comunicação, pois o consumidor também passa por diversas mudanças. Ele tem hoje uma atitude pró-ativa e busca informações não apenas sobre produtos e serviços. Não se preocupa somente com o que consome, mas sim com a postura ética de seus executivos, funcionários, acionistas, fornecedores, parceiros, beneficiários e terceirizados.


Fonte: Diário do Litoral (Diarinho) – 19/08/2008

Anúncios

2 respostas em “Relações Públicas é destaque na comunicação corporativa

  1. COMPETÊNCIA E SERIEDADE SÃO MARCAS FORTES DO PROFESSOR CARRISSIMI, NOSSA CAMINHADA É LONGA E ÁRDUA MAS OS RESULTADOS SÃO RECOMPENSANTES.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s